Ilhéus/BA – Brasil | Parte 3: Trilha Tororomba + Ciclo Tour

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Depois de conhecer o hotel e a praia (que vocês já devem ter conferido nesses links AQUI e AQUIe se não conferiram bora clicar e ficar por dentro de tudo 🙂 ), minha primeira atividade foi à trilha com o pessoal do hotel. A trilha é preparada para os hóspedes e não há nenhuma taxa para participar. O guia é o dono do Tororomba (Sr. Nelson)  junto com um dos recreadores. No início do percurso um rapaz vai abrindo o caminho da trilha (com um facão)  e um outro rapaz acompanha o pessoal para vender água e cerveja durante o percurso (ou seja, o único gasto na trilha é se você comprar algo para tomar), lembrando que se você preferir, pode levar a sua própria garrafa de água.

Antes de começar a trilha, são distribuídos cajados (o que ajuda e muito), além da distribuição, o guia conta um pouco da importância do cajado na vida de quem faz trilha.

O percurso leva em torno de 1 hora e 30 minutos,  com algumas paradas para recebermos informações e curiosidades. No início da trilha, são distribuídos sacos de lixo (para quem se voluntariar), onde o objetivo é retirar a maior quantidade de lixo (que o homem joga) da natureza e no final, quem coletar o maior número de lixo ganha um brinde. No caminho nos deparamos com troncos, lama, plantas e tudo mais que uma trilha tem direito, hahahaha.

Dá para fazer a trilha de tênis ou de chinelo. Quem está de chinelo passa pelo túnel Indiana Jones, onde atravessamos abaixados e quem está de tênis vai por outro caminho (eu preferi de chinelo, mas em algumas partes da trilha tive que tirar para não escorregar). Vá com roupas confortáveis e não esqueça de passar protetor.

PARADAS DA TRILHA:

  • Fábrica de Sabão: o Tororomba reutiliza o óleo de cozinha para fabricar o sabão e o mesmo é voltado para a lavagem da louça do hotel;
  • Pau-Brasil:  é contado um pouco da história do Pau-Brasil, e também nos informaram que ele é muito utilizado para a fabricação de violinos (pois essa madeira deixa o instrumento com um som mais bonito), e com isso muitas árvores são retiradas para a fabricação do instrumento. Nessa parada, são solicitados dois voluntários para plantar duas mudas de Pau-Brasil  (eu fui uma delas \o/);
  • Horta orgânica: Conhecemos um pouco sobre como funciona e como cuidar  de uma horta orgânica. O André (responsável pela horta) conversa com os hóspedes que quiserem saber mais sobre o assunto, ensina os cuidados e  como ter uma horta orgânica em casa. Ele ensina também como aproveitar garrafas pet para fazer a horta em lugares pequenos (apartamentos, por exemplo);
  • “Mirante”: em um determinado ponto da trilha, temos uma vista linda para o mar. É uma parada rápida, apenas para tirar fotos;
  • Oca do índio: essa é a penúltima parada, onde conhecemos um pouco o trabalho do índio, sua casa e seus utensílios (feito com materiais da natureza);

  • Cachoeira: Essa é a ultima parada. E para finalizar a trilha, nada melhor do que um banho no rio com uma deliciosa cascata para refrescar o calor.

Foi uma experiência muito bacana e diferente, pois eu nunca havia feito trilha antes 🙂

CICLO TOUR

E quem achou que eu fui pra Bahia só pra ficar deitada na rede, tomando uma água de côco… Se enganou!! Aproveitei essa viagem para praticar bastante exercícios e não voltar em forma de bolinha depois de comer aquelas maravilhas baianas. Além da trilha, e como eu estava no pique para praticar esportes, nada melhor do que fazer um ciclo tour por Olivença de bike. Afinal, são apenas 12 km.

Essa também é uma atividade feita para os hóspedes do hotel, onde não é cobrado nenhuma taxa para participar. Basta você assinar um termo e estar no ponto de encontro no horário marcado.  Quem comanda o passeio são dois recreadores e também o Sr. Nelson (dono do hotel). E para animar o trajeto, vamos com música para dar aquela agitada na galera.

O percurso é de 6 km na ida e mais 6 km na volta. Vamos até o distrito de Olivença, onde temos algumas paradas para sabermos um pouco mais da história e cultura da cidade. A primeira parada (depois de uma cansativa subida) é em um espaço que foi criado por um dos moradores para facilitar o acesso de quem mora na região até a praia. A segunda parada é na Igreja Nossa Senhora da Escada, onde acontece um dos eventos mais interessantes de Ilhéus,  com a puxada do mastro. O mastro fica em frente a igreja e todo ano é puxado uma nova imagem de um santo. Lá acontece também a festa junina da cidade. A terceira e última parada, acontece no Balneário Tororomba (lugar onde inspirou o nome do hotel). No Balneário, temos uma cascata com água beeeem gelada e também uma piscina de água escura. A água é escura por ser rica em ferro (águas ferruginosas); diz a lenda que essa água é boa para a pele e cabelos (meu cabelo ficou bem macio mesmo).

O ciclo tour é feito na terça-feira, pois na segunda o Balneário fica fechado para manutenção e troca da água. Assim, na terça-feira, pegamos tudo limpinho.

Depois do banho refrescante de piscina de água boa, bora voltar, afinal ainda faltam 6km para pedalar. Socorrooo!!! Hahaha, mas é mega divertido esse passeio!

Espero que tenham gostado de mais essa dica nesse destino maravilhoso que é Ilhéus. Nos próximos posts contarei um pouquinho de algumas praias que visitei e que vocês também não podem deixar de conhecer.

Beijos com carinho,

Você também pode se interessar por estes assuntos!

Resort Tororomba – Ilhéus/BA – Brasil – Parte I

Atividades no Resort Tororomba – Ilhéus/BA – Brasil – Parte II

Beach Park – Fortaleza/CE – Brasil

4 ideias sobre “Ilhéus/BA – Brasil | Parte 3: Trilha Tororomba + Ciclo Tour

  1. Oi Gi!! Amei o post. Que delicia de viagem, fiquei apaixonada pelo roteiro do passeio. Adoro fazer trilha, caminhar… deve ter sido uma experiência maravilhosaaaa! ❤️
    Bjoooo
    ajufaria.blogspot.com

    • Que bom que gostou Ju! Foi uma experiência incrível mesmo, bem diferente das coisas que eu já tinha feito. Repetiria tudo de novo, com certeza! =D
      Já que você gosta de trilhas, caminhadas, se um dia tiver oportunidade de ir pra lá, deixe tudo anotadinho no seu roteiro, porque é muito gostoso.
      Como o Resort é mais afastadinho da cidade, chega uma hora que só ficar deitada e pegar praia cansa, rs, e essas atividades que o pessoal do Tororomba incluiu para os hóspedes, foram muito boas, na minha opinião.

      Beijos, Gih

    • O clima é tão gostoso e as pessoas tão legais, que você até esquece do tempo e da preguiça, hahaha, vai por mim! 🙂 É muito bom!!!!

      Beijos, Gih

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *