Vlog Paranapiacaba/SP

Hellooo Brasil!!!
Mês passado fomos conhecer Paranapiacaba, uma pequena cidadezinha pertencente ao município de Santo André, ABC Paulista, e fizemos um vlog para vocês poderem conhecer também um pouquinho dessa cidade com a gente.

NESSE OUTRO POST, contamos um pouco mais detalhadamente sobre o passeio e sobre a cidade! Vale a pena conferir também.

Bora apertar esse PLAY e viajar um pouquinho?

Beijos com carinho,

travel, trip, brasil, brazil, santo andré, abc, são paulo, sp, destinos brasileiros, cidades históricas,  história, ferrovia, primeira ferrovia, serra do mar, mar, praia, serra, 

 

 

 

Você também pode se interessar por estes assuntos!

Paranapiacaba/SP – Passeio de um dia | Conhecendo São Paulo

Hellooo Basil!
Recentemente fomos conhecer Paranapiacaba, uma cidadezinha bem próxima de São Paulo e pertencente ao município de Santo André (ABC Paulista).

paranapiacaba

Paranapiacaba significa “lugar de onde se vê o mar”, em tupi guarani.
Em dias mais claros, era esta a visão que os povos indígenas tinham ao passar pela região, depois de subir a serra do mar.

Toda planejada por ingleses, essa antiga vila surgiu como um centro de controle operacional de uma cia inglesa de trens, a São Paulo Railway, onde realizavam o transporte de cargas e pessoas do interior paulista para o porto de Santos e vice-versa. Aliás, essa foi a primeira estrada ferroviária de São Paulo, construída por volta dos anos 1867.

feriado paranapiacaba

igreja paranapiacaba

casa paranapiacaba

paranapiacaba casa

Paranapiacaba é uma vila bem simples. Infelizmente, por ser uma cidade histórica e turística, achamos que precisa de algumas melhorias. Mas, ainda assim, vale muito a visita nesse lugarzinho de paz e calmaria.

As principais construções ainda se encontram de pé, como o Castelo no alto da colina, o Clube União Lyra Serrano, o relógio da Estação Alto da Serra, além de algumas trilhas para os mais aventureiros e a primeira reserva biológica da América Latina.

Lá também é possível encontrar um famoso fruto muito conhecido na cidade, o Cambuci. No caso, optamos por experimentar o sorvete de Cambuci e aprovamos! Ele é meio azedinho, mas bem gostoso.

big ben paranapiacaba

sorvete cambuci paranapiacaba

Nós fomos até Paranapiacaba de carro, o que dá aproximadamente 50km de distância da capital paulista, mas, para quem preferir, há um Expresso Turístico que sai todos os domingos as 08h30, partindo da Estação da Luz/SP. Os valores das passagens é de R$ 45,00 para uma pessoa ou R$ 75,00 para duas pessoas, mas é sempre bom conferir o preço no site da CPTM antes de sair de casa #FicaDica.

O desembarque do Expresso Turístico é na Estação Alto da Serra, onde fica o relógio “réplica” do Big Ben. É nesse mesmo ponto que também funciona o Museu do Sistema Funicular, onde é possível encontrar alguns trens da São Paulo Railway e os vagões que foram usados no período imperial para transportar D. Pedro II. Pagamos R$ 5,00 por pessoa para visitar este museu.

museu ferroviário paranapiacaba

trem paranapiacaba

ferroviaria paranapiacaba

museu funicular paranapiacaba

No ponto mais alto da vila está o Castelo, antiga moradia do engenheiro chefe, Sr. Frederic Mens, onde do alto ele controlava todo o funcionamento da ferrovia e o trabalho dos operários no pátio. Atualmente, o castelo funciona como um museu e lá pode ser encontrado alguns móveis antigos, equipamentos, fotos, e outras coisas mais. A visita no museu é guiada e pagamos apenas R$ 2,00 por pessoa. Vale muito a visita!

castelo engenheiro chefe paranapiacaba

Outra coisa bem legal da cidade, é que antigamente haviam dois clubes em Paranapiacaba: Serrano Futebol Clube, onde este era voltado para o futebol,  e o Lyra da Serra, voltado para às artes. Algumas décadas depois, eles resolveram se unir e formar o Clube União Lyra Serrano, sede de diversos festivais e atualmente bastante frequentado no Festival de Inverno, onde recebe milhares de pessoas, e também na Feira Literária, que iniciou suas atividades em 2016.

A vila também reúne diversas lojinhas com artesanatos locais (e nem precisamos dizer que amamos essas coisinhas de artesanatos, né? rs).

No dia em que fomos, o tempo estava maravilhoso! Um sol de “rachar a cuca” e um céu bem limpo, porém, em dias menos quentes e mais cinzentos, por volta das 15h30 ou 16h00, a névoa toma conta da cidade, onde muitas vezes não consegue se enxergar absolutamente nada, segundo informações que foram nos passada.

DEVE SER BEM LEGAL NESSES DIAS TAMBÉM!

irmãs

paranapiacaba são paulo

paranapiacaba sp

Ahhh, o Carnaval por lá também é bastante movimentado. A vila segue com a tradição dos antigos bailes de máscaras e blocos de rua durante os quatro dias de folia.

E aí, que tal fazer um passeio um pouquinho diferente e conhecer Paranapiacaba?

Beijos com carinho,

 

 

 

Você também pode se interessar por estes assuntos!

Um dia em São Roque/SP

Hellooo Brasil!

O post de hoje é de mais um #TriicotandoViaja, e o destino agora foi São Roque. Uma cidadezinha bem gostosa no interior de São Paulo, e claro que não poderíamos deixar de compartilhar com vocês, né?

Dessa vez, passamos apenas o dia no local, fizemos um bate e volta.
São Roque é bem pertinho de São Paulo (aproximadamente 70km da capital), então dá tranquilamente para ir e voltar no mesmo dia.

Os principais pontos turísticos de São Roque são: Rota do Vinho e o Ski Mountain Park. 

Saímos de casa às 07h30 e chegamos em nossa primeira parada por volta de 08h45.
Optamos por iniciar o passeio pela Rota do Vinho, que nada mais é do que uma estrada chamada ESTRADA DO VINHO, com aproximadamente 10km de extensão. Nessa estrada há diversas vinícolas, onde podemos ir fazendo as paradas e conhecer um pouquinho de cada uma delas e ainda degustar deliciosos vinhos, licores e outros tipos de bebidas (o ideal para esse passeio é ir de carro ou então contratar alguma agência de viagem que faça essa rota, mas LEMBRE-SE: se for dirigir NÃO BEBA).

Obs: se você quiser conhecer TODAS as vinícolas, aconselhamos ficar pelo menos dois dias na cidade. Como não era o nosso caso, fizemos um roteirinho em casa,  anotando os endereços das vinícolas que gostaríamos de conhecer. 

Nossa primeira parada na Estrada do Vinho, foi a Destilaria Stoliskoff. Nela há diversos tipos de bebidas alcoólicas, como licores, cervejas, tequilas, vinhos, entre outras. Para quem gosta de bebidas alcoólicas, essa destilaria é parada obrigatória (não é o nosso caso, mas já que estávamos lá, ficamos curiosas em conhecer, rs). E para não perder a oportunidade, experimentamos pela primeira vez a famosa tequila. Será que aprovamos? Assistam ao vlog abaixo e saberão se aprovamos ou não, hahaha.

Nossa  segunda parada foi na Vinícola Góes. Essa vinícola além de muito conhecida é a maior da Estrada do Vinho.
Lá podemos conhecer também a fábrica e ver como é feito todo o processo do vinho até chegar em nossas mesas. O primeiro horário para a visitação é às 10h30, MAS, é necessário chegar 3o minutos com antecedência para garantir o lugar (há limite de pessoas para a entrada na fábrica). Infelizmente quando chegamos na vinícola, os horários já estavam esgotados (mesmo chegando 30 minutos antes).

Sendo assim, deixamos aqui uma dica: Se você tiver interesse em conhecer a fábrica, inicie o passeio visitando a Vinícola Góes e já vá direto ao balcão para deixar o seu nome. Assim será mais fácil de garantir sua vaga. Valor para visitação à fábrica: R$ 30,oo por pessoa e a duração é de aproximadamente 1h30. 

Ainda assim valeu muito a visita nesta vinícola, pois além de bons vinhos, o espaço que ela possui é MARAVILHOSO. Lindo mesmo, sério!

Em seguida, fomos visitar a Vinícola Palmeiras. Ela é bem menor do que a Góes, mas vale a pena a visita.
É bem bonitinha e ainda tem na exposição alguns equipamentos que eram utilizados antigamente no processo do vinho. Achamos bem interessante.
Ao lado desta vinícola também podemos encontrar uma loja de chocolates artesanais bem deliciosos.

Depois de degustar diversos vinhos, fizemos nossa parada para o almoço.
Optamos pelo restaurante Cantina Tia Lina, um restaurante Italiano e bom demais. Recomendamos SUPER essa cantina. Pensa em uma comida deliciosa, daquelas bem caseira e de dar água na boca! É assim que definimos a Cantina Tia Lina. Além do espaço ser bem lindinho ela é bem estilo Itália mesmo. Adoramos!

Entre uma parada e outra desses lugares que citamos acima, íamos parando em algumas outras vinícolas menores e também em lojinhas de artesanatos, lembrancinhas e chocolates.

Após o almoço, fomos conhecer o famoso parque “Ski Mountain Park”. Esse é um parque de aventuras em meio a natureza. A paisagem que eles nos oferece é simplesmente espetacular.

Os valores para entrada no parque são: R$ 10,00 (pedestre sem carro), R$ 10,00 (moto), R$ 30,00 (automóveis, independente de quantas pessoas estiverem dentro dele). Quanto aos brinquedos, você só paga se for em algum deles. Se quiser ir apenas apreciar a paisagem, pagará somente os valores de entrada que citamos acima (se optarem por ir, aconselhamos verificar o site do parque antes para ver se os valores não sofreram nenhuma alteração). Os valores de cada brinquedo pode ser consultado neste link: Ski Mountain Park.

É nesse parque que podemos encontrar a famosa pista de Ski artificial (mas sinceramente não curtimos não e por isso acabamos não fazendo essa opção de brinquedo). Optamos apenas pelo tobogã, teleférico e arvorismo com tirolesa – bem legal essas opções, vocês devem fazer (apesar do arvorismo dar um pouco de medo, haha).

Esse foi nosso dia em São Roque.
Está aí uma opção para quem quer curtir um passeio diferente e sem gastar muito.

Esperamos que tenham gostado!
Se alguém aí já foi, nos conte o que achou e se fizeram algo diferente nos dê umas diquinhas também para uma próxima vez que voltarmos 🙂

ENDEREÇOS:

Destilaria Stoliskoff
Estrada do Vinho, km 4 – Sorocamirim – São Roque/SP

Vinícola Góes
Estrada do Vinho, km 9 – Canguera – São Roque/SP

Vinícola Palmeiras
Estrada do Vinho, km 10 – Canguera – São Roque/SP

Cantina Tia Lina
Estrada do Vinho, km 10,4 – Canguera – São Roque/SP

Ski Mountain Park 
Estrada da Serrinha, 1500 – Cambará – São Roque/SP

Beijos com carinho,

 

 

 

Você também pode se interessar por estes assuntos!

Rio de Janeiro/RJ – Brasil

Porto Seguro/BA – Brasil

Caldas Novas/GO – Brasil

Vlog #4 (final) Ilhéus/BA – Brasil | Bike Tour – Tororomba

Hellooo Brasil!!!

Para finalizar a série de vídeos de Ilhéus, venho compartilhar com vocês, como foi o dia do passeio Bike Tour com o pessoal do Tororomba Resort. Já contei mais sobre esse passeio nesse post AQUI. Agora aperte o play e venha conferir como foi!

Beijos com carinho,

Vlog #3 Ilhéus/BA – Brasil | Itacaré

Hellooo Brasil!

Nesse vlog mostrei um pouco mais de duas praias lindas que tive oportunidade de conhecer quando fui para Ilhéus.
Na verdade, essas praias ficam em Itacaré (cidade próxima a Ilhéus), e já contei mais sobre elas nesse link AQUI

Agooooraaa, aperte o play e confira!

Beijos com carinho,

Vlog #2 Ilhéus/BA – Brasil | Trilha Tororomba

Hello pessoal!

Esse é o vlog #2 da viagem que fiz para Ilhéus. Fiz uma trilha com o pessoal do Resort Tororomba e foi muito bacana pois eu nunca tinha feito trilha antes.

Uma outra coisa legal que descobri antes de iniciar a trilha e que acabamos não colocando no post sobre o Resort Tororomba (CLIQUE AQUI PARA CONFERIR), é que o Resort também aceita os seus bichinhos de estimação. Olha que máximo! No vídeo mostramos tudinho para vocês. Aperte o play e confira!

Beijos com carinho,

Ilhéus/BA – Brasil | Parte 5: Centro Histórico

Como não pode faltar em qualquer outra cidade que se vai (principalmente se for a primeira vez), fomos conhecer o Centro de Ilhéus.

Para fazer esse passeio fomos por conta própria, mas se preferir, esse passeio também pode ser fechado com a Grou Turismo – CVC.

Como o Resort Tororomba (onde ficamos hospedados) fica bem distante do Centro, não deu para conhecer tudo em uma única tarde, ainda mais porque estávamos sozinhos e não sabíamos andar muito bem por lá. Antigamente havia no hotel uma van que cobrava R$ 80,00 para levar e mais R$ 80,00 para voltar (no carro cabiam até 7 pessoas), mas quando estávamos hospedados recebemos a informação de que não havia mais esse serviço no hotel. O preço do táxi era o mesmo, ou seja, R$ 160,00 ida e volta. Como achamos MUITO caro, resolvemos ir de ônibus mesmo.

O ônibus passa em frente ao hotel de 2 em 2 horas e na recepção do hotel podemos pedir os horários dos ônibus. Resolvemos pegar os horários um pouco tarde e quando fomos ver o ônibus tinha acabado de passar. Teríamos então que esperar mais 2 horas para pegar o próximo. Demos sorte, conhecemos uma família no hotel que estavam de carro e nesse dia eles iriam para Itacaré, eles nos deram uma carona até o Centro, pois era caminho.

Quando chegamos no Centro, tivemos que andar um pouco até a parte histórica da cidade. Ilhéus é bem simples e o Centro não é lá muito bonito (somente na parte histórica) então não ficamos andando muito por lá. Encontramos uma feirinha de artesanatos muito legal e as coisas são bem mais baratas por lá. Um pouco mais a frente da feirinha, chegamos na parte histórica da cidade. Conhecemos a Catedral de São Sebastião (uma das igrejas mais lindas que já visitei). Logo ao lado encontramos o Bar Vesúvio muito famoso na cidade (Bar do Nacib na novela Gabriela). Nas noites de terça-feira há apresentações teatrais inspirados nos personagens Nacib e Gabriela. Em frente, encontramos a sorveteria Ponto Chic, também é um ponto bem conhecido na cidade e o sorvete é delicioso. Não achei caro em comparação com outras sorveterias desse tipo, cada bola sai por volta de R$ 3,00 (grande). Conhecemos também a casa Jorge Amado, hoje um museu onde é cobrado uma taxa de R$ 5,00 para entrar. Não entrei na casa para conhecer, apenas por fora (já estava quase na hora de pegar o ônibus de volta).

Outro lugar que eu queria conhecer mas não deu tempo, foi o antigo Bataclan, que de acordo com o romance de Jorge Amado, era um prostíbulo frequentado pelos coronéis (Senhores do Cacau). Hoje funciona um restaurante no lugar. Mas, se você fechar o passeio com a Grou Turismo – CVC, essa visita está inclusa no pacote.

Nesse caso, eu indico fechar sim o pacote com a Grou Turismo – CVC, apesar de não saber quais são as paradas do pacote, acho que a visita ao Centro da cidade será mais proveitosa e claro com todas as informações históricas, além de ter o conforto da van (o que é bem melhor do que ficar esperando o ônibus).

OBS: Por uma conversa que tive com uma hóspede que fechou o pacote com a “Grou”, a parada na feira de artesanato não está inclusa. Por tanto, se quiser parar na feirinha, certifique-se antes de fechar qualquer coisa.

Para voltar, levamos o papel dado pelo hotel com os ônibus de volta e pedimos informações para os policiais para saber onde era o ponto que deveríamos ir. Pegamos o ônibus Cidade Sol, onde a passagem é um pouco mais cara (R$ 7,00), porém, passava um pouco mais rápido que o outro (mas demora também, rs).

Para pegar esse ônibus, devemos comprar as passagens antes do ônibus chegar, as mesmas são vendidas em frente ao ponto.

Bem gentemmm, com esse post finalizo as publicações sobre minha viagem para Ilhéus.

Se eu voltaria? SIM! Eu amo a Bahia e amei conhecer um pouquinho da cidade e principalmente o Resort Tororomba. Tenho certeza que se vocês forem, também não irão se arrepender. E caso alguém já tenho ido, me conte o que achou, ok?

Beijos com carinho,

Você também pode se interessar por estes assuntos!

Ilhéus/BA – Brasil – Resort Tororomba 

Atividades no Resort Tororomba

Itacaré/BA – Brasil

 

Ilhéus/BA – Brasil | Parte 4: Conhecendo Itacaré

PRAIA DA CONCHA E PRAIA DA TIRIRICA

Se você for para Ilhéus, não deixe de conhecer o município de Itacaré, onde são encontradas muitas belezas naturais.

Quando chegamos no aeroporto de Ilhéus, fomos recebidos pelo Raoni (Guia da Grou Turismo – prestam serviços terceirizados para CVC).  Ele nos deu um catálogo com os passeios que poderíamos fazer e o contato dele. Depois de deicidir com calma qual queríamos, fechamos todos os passeios por WhatsApp.

Escolhemos o passeio para Itacaré onde fomos para a Praia da Concha (linda por sinal).
O passeio custou R$ 75,00 por pessoa e a van  estava no hotel às 08 horas (horário marcado). De lá, fomos direto para a praia, mas pelo caminho ouvimos mais sobre a história da cidade. Chegamos na praia e lá já tinha alguns quiosques e guarda- sol a nossa espera, rs, e como de costume, fomos muito bem recebidos.

O mar é calmo e sem ondas, parece uma piscina. Praia limpa e água cristalina. Para quem gosta de caminhar na praia, é bem legal por ser extensa e, para quem gosta de tirar fotos (como eu) nas duas extremidades da praia há belíssimas pedras com uma vista maravilhosa (ótimo fundo para fotos). Na praia também tem o quiosque onde podemos alugar caiaques e as pranchas para stand up paddle.

Como sempre tive vontade de andar de stand up e ir lá para o meio do mar, aluguei um e gostei bastante, pois tive toda a assessoria necessária para que conseguisse ficar de pé e também o colete salva vidas. Confesso que achei que seria difícil para pegar “as manhas” da brincadeira, mas não foi! Em pouco tempo consegui ficar em pé e curtir 1 hora de paz, tranquilidade e muito treino de bíceps, hahaha. Para quem manja bastante do esporte, é possível ir até o farol que tem na praia. Pensei que pudesse chegar até lá pelas pedras, mas não dá; somente com a prancha, caiaque ou nadando (para quem sabe e já tem prática, claro).

Se você for para esse praia, indico que experimente a deliciosa caipirinha de Cacau (indicação do Raoni), além do sabor muito gostoso, é servida no próprio cacau com todo charme que ele merece.

Na hora da volta, tivemos algumas paradas. A primeira foi no mirante Serra Grande. Nele temos uma vista incrível da praia Pé de Serra (próximo passeio). A parada é rápida, apenas para tiramos algumas fotos e podermos apreciar a vista. A segunda parada é na Praia da Tiririca. Nela havia uma espécie de “capim cortante” e por esse motivo recebeu esse nome, pois Tiririca nada mais é do que uma espécie de capim.

A praia é ideal para quem gosta de esportes. Lá há um círculo cimentado para a prática da capoeira, uma pista de skate e no mar são realizados os campeonatos de surf. Também há algumas pousadas para quem preferir se hospedar em Itacaré e até mesmo massagistas. Já pensou que delícia receber uma massagem de frente para o mar?

Depois foi a hora de conhecer o centro de Ilhéus e fazer algumas comprinhas. Não tivemos muito tempo para andar pela cidade,mas deu para conhecer e trazer algumas coisinhas e o principal: o CHOCOLATE que não poderia faltar. Afinal, Ilhéus é a terra do cacau.

Nossa última parada foi na casa da empada, R$ 7,00 cada empada, porém são bem recheadas . Indico a empada de camarão.
OBS: Não é nesse passeio que a parada na empada  é feita, paramos por  necessidades de usar o banheiro. Mas caso você esteja de carro, ou até mesmo pegar um guia legal (como o nosso) indico a parada.  Passeio aprovado !!!

PRAIA PÉ DE SERRA

Esse passeio foi realizado em dia diferente do da Praia da Concha e funcionou da mesma forma: no horário combinado, o guia junto com a van passou no hotel para nos buscar.

Do hotel, seguimos viagem para a praia Pé de Serra (a praia que vimos no Mirante Serra Grande – passeio anterior). No meio do percurso tivemos um imprevisto: O ônibus que estávamos quebrou. Porém, isso não atrapalhou nosso passeio, pois o guia Raoni logo ligou para a central e em mais ou menos uns 15 minutos uma outra van chegou (eu particularmente gostei bastante dessa parada pois consegui tirar muitas fotos legais, hahaha).

Chegando na praia, ficamos numa área com uma ótima estrutura. O quiosque com comida boa, pessoas muito simpáticas (como em toda a Bahia), banheiros, ducha e o que eu mais achei legal foram as mesas e bancos feitos com madeiras (restos de árvores) e uma grande sombra com folhas de coqueiros (ou palmeiras – não sei diferenciar, hahaha).

Logo no início, o guia nos levou para caminhar pela extensão da praia, jogando bola (o que foi mega divertido). Chegamos até as pedras no final da praia (rendeu muitas fotos lindas). Passamos a manhã nessa praia, almoçamos e quando foi umas 14 horas partimos para a parte tão esperada do passeio: A cachoeira!!

Não demorou muito até que chegássemos. Pagamos uma taxa de R$ 13,00 por pessoa para entrar,  porém, esse valor é só para quem está com guia turístico. Caso você vá por conta própria, a taxa era um pouco maior, mas não passa de R$20,00 por pessoa.

Lá também tem uma grande estrutura, restaurante, uma lojinha onde eram vendidos alguns artesanatos (maioria colares de pedras) e plantas. UAUUU que lugar incrível! Não via a hora de entrar na cachoeira.  O que eu mais gostei é que essa cachoeira é de água morna e por isso consegui aproveitar muitooo.

Como é bom lavar a alma naquela forte queda d’água.

O bom de ir com o guia, é que ele ajuda você a chegar na queda d’água. Se você não sabe nadar, ele te dá uma boia e te puxa. Também é possível ir segurando na corda ou até mesmo nadando. É tranquilo, mesmo tendo 5m de profundidade. E o salva-vidas estava ali o tempo todo para socorrer caso acontecesse alguma coisa.

Alerta: como em todas as cachoeiras, não podia faltar também os chatos e grandes mosquitos. É um bicho bem grande e a picada  dele machuca. Se você for alérgico ou não leve um repelente!

Bom, chegamos ao final do melhor passeio dessa viagem (na minha opinião). Hora de voltar para o hotel!

No próximo post, que irá ao ar ainda essa semana, publicarei a última postagem dessa viagem para Ilhéus, que será contando um pouquinho do Centro Histórico da cidade. Quero ainda liberar o último vlog dessa viagem também. Espero conseguir editar o vídeo a tempo, hahaha.

Beijos com carinho,

Você também pode se interessar por estes assuntos!

Resort Tororomba – Ilhéus/BA – Brasil – Parte I

Atividades no Resort Tororomba – Ilhéus/BA – Brasil – Parte II

Maceió/AL – Brasil

Ilhéus/BA – Brasil | Parte 3: Trilha Tororomba + Ciclo Tour

Depois de conhecer o hotel e a praia (que vocês já devem ter conferido nesses links AQUI e AQUIe se não conferiram bora clicar e ficar por dentro de tudo 🙂 ), minha primeira atividade foi à trilha com o pessoal do hotel. A trilha é preparada para os hóspedes e não há nenhuma taxa para participar. O guia é o dono do Tororomba (Sr. Nelson)  junto com um dos recreadores. No início do percurso um rapaz vai abrindo o caminho da trilha (com um facão)  e um outro rapaz acompanha o pessoal para vender água e cerveja durante o percurso (ou seja, o único gasto na trilha é se você comprar algo para tomar), lembrando que se você preferir, pode levar a sua própria garrafa de água.

Antes de começar a trilha, são distribuídos cajados (o que ajuda e muito), além da distribuição, o guia conta um pouco da importância do cajado na vida de quem faz trilha.

O percurso leva em torno de 1 hora e 30 minutos,  com algumas paradas para recebermos informações e curiosidades. No início da trilha, são distribuídos sacos de lixo (para quem se voluntariar), onde o objetivo é retirar a maior quantidade de lixo (que o homem joga) da natureza e no final, quem coletar o maior número de lixo ganha um brinde. No caminho nos deparamos com troncos, lama, plantas e tudo mais que uma trilha tem direito, hahahaha.

Dá para fazer a trilha de tênis ou de chinelo. Quem está de chinelo passa pelo túnel Indiana Jones, onde atravessamos abaixados e quem está de tênis vai por outro caminho (eu preferi de chinelo, mas em algumas partes da trilha tive que tirar para não escorregar). Vá com roupas confortáveis e não esqueça de passar protetor.

PARADAS DA TRILHA:

  • Fábrica de Sabão: o Tororomba reutiliza o óleo de cozinha para fabricar o sabão e o mesmo é voltado para a lavagem da louça do hotel;
  • Pau-Brasil:  é contado um pouco da história do Pau-Brasil, e também nos informaram que ele é muito utilizado para a fabricação de violinos (pois essa madeira deixa o instrumento com um som mais bonito), e com isso muitas árvores são retiradas para a fabricação do instrumento. Nessa parada, são solicitados dois voluntários para plantar duas mudas de Pau-Brasil  (eu fui uma delas \o/);
  • Horta orgânica: Conhecemos um pouco sobre como funciona e como cuidar  de uma horta orgânica. O André (responsável pela horta) conversa com os hóspedes que quiserem saber mais sobre o assunto, ensina os cuidados e  como ter uma horta orgânica em casa. Ele ensina também como aproveitar garrafas pet para fazer a horta em lugares pequenos (apartamentos, por exemplo);
  • “Mirante”: em um determinado ponto da trilha, temos uma vista linda para o mar. É uma parada rápida, apenas para tirar fotos;
  • Oca do índio: essa é a penúltima parada, onde conhecemos um pouco o trabalho do índio, sua casa e seus utensílios (feito com materiais da natureza);

  • Cachoeira: Essa é a ultima parada. E para finalizar a trilha, nada melhor do que um banho no rio com uma deliciosa cascata para refrescar o calor.

Foi uma experiência muito bacana e diferente, pois eu nunca havia feito trilha antes 🙂

CICLO TOUR

E quem achou que eu fui pra Bahia só pra ficar deitada na rede, tomando uma água de côco… Se enganou!! Aproveitei essa viagem para praticar bastante exercícios e não voltar em forma de bolinha depois de comer aquelas maravilhas baianas. Além da trilha, e como eu estava no pique para praticar esportes, nada melhor do que fazer um ciclo tour por Olivença de bike. Afinal, são apenas 12 km.

Essa também é uma atividade feita para os hóspedes do hotel, onde não é cobrado nenhuma taxa para participar. Basta você assinar um termo e estar no ponto de encontro no horário marcado.  Quem comanda o passeio são dois recreadores e também o Sr. Nelson (dono do hotel). E para animar o trajeto, vamos com música para dar aquela agitada na galera.

O percurso é de 6 km na ida e mais 6 km na volta. Vamos até o distrito de Olivença, onde temos algumas paradas para sabermos um pouco mais da história e cultura da cidade. A primeira parada (depois de uma cansativa subida) é em um espaço que foi criado por um dos moradores para facilitar o acesso de quem mora na região até a praia. A segunda parada é na Igreja Nossa Senhora da Escada, onde acontece um dos eventos mais interessantes de Ilhéus,  com a puxada do mastro. O mastro fica em frente a igreja e todo ano é puxado uma nova imagem de um santo. Lá acontece também a festa junina da cidade. A terceira e última parada, acontece no Balneário Tororomba (lugar onde inspirou o nome do hotel). No Balneário, temos uma cascata com água beeeem gelada e também uma piscina de água escura. A água é escura por ser rica em ferro (águas ferruginosas); diz a lenda que essa água é boa para a pele e cabelos (meu cabelo ficou bem macio mesmo).

O ciclo tour é feito na terça-feira, pois na segunda o Balneário fica fechado para manutenção e troca da água. Assim, na terça-feira, pegamos tudo limpinho.

Depois do banho refrescante de piscina de água boa, bora voltar, afinal ainda faltam 6km para pedalar. Socorrooo!!! Hahaha, mas é mega divertido esse passeio!

Espero que tenham gostado de mais essa dica nesse destino maravilhoso que é Ilhéus. Nos próximos posts contarei um pouquinho de algumas praias que visitei e que vocês também não podem deixar de conhecer.

Beijos com carinho,

Você também pode se interessar por estes assuntos!

Resort Tororomba – Ilhéus/BA – Brasil – Parte I

Atividades no Resort Tororomba – Ilhéus/BA – Brasil – Parte II

Beach Park – Fortaleza/CE – Brasil

Ilhéus/BA – Brasil | Parte 2: Atividades no Resort Tororomba

Hello pessoal, tudo bem?

Dando continuidade aos posts anteriores, hoje venho contar um pouquinho das atividades do Resort Tororomba. Assim, vocês saberão maiores detalhes para programar suas férias nesse lugar incrível que é Ilhéus e o Resort Tororomba.

Todos os dias há atividades no hotel para as crianças e para os adultos, tanto durante o dia quanto a noite.
Há também os recreadores  que passam o dia brincando com as crianças, dando aula de hidroginástica (Marquinhos), aulas de dança (Ednei), futebol (adulto e infantil), Vôlei de praia e música ao vivo todas as noites (com Ricardo Meirelles). Além de locação de bike e pedalinho.

OBS: há muitos recreadores, mas sou meio ruim com nomes e não guardei o de todo mundo. Sorry pessoal do Tororomba!

Além dessas atividades, na semana em que fiquei hospedada, teve também o desafio da cerveja, desafio do dominó, competição de dança de casais, noite do forró e muitas outras coisas.

Uma das atividades que eu mais gostei foi a “noite baiana”. Nessa noite, foram apresentadas para os hóspedes um pouco sobre a cultura baiana.  Música ao vivo, apresentação da dança baiana, dança africana, dança do fogo e claro que não podia faltar a famosa (e linda) capoeira. Eu sempre fui apaixonada por capoeira! Meu coração bate no ritmo do berimbau e do atabaque. O que eu mais gostei nessa noite foi que no final da apresentação da capoeira, eles chamaram alguns hospedes para “jogar” com eles (eu estava na torcida para ser chamada) e….OBAAAA!!!  uma das convidadas foi EUZINHA :). Tá, eu passei bastante vergonha, mas foi a noite mais legal da minha vida, pois realizei um grande desejo que sempre tive.

Depois de  todas as apresentações, foi hora de botar o pessoal pra dançar. Teve muito samba, axé e alegria. Foi tudo mega divertido!!

Na última noite que eu estive no hotel, tivemos a noite do forró. Teve uma aulinha para aprendermos o forró com o Ednei e depois muita música ao vivo com o Ricardo Meirelles para ralar o buxo no salão, hahahaha. Além da dança, tivemos também uma quadrilha muito doida e uma dança das cadeiras pra animar mais um pouquinho.

Se você tem filhos, lá será o paraíso para eles.  Tem atividades o dia todo, brincadeiras variadas, atividades na piscina, toboágua onde os adultos também podem brincar (eu queria muito ir, mas fiquei com vergonha), jogos no salão de jogos,  futebol (quadra e na praia), vôlei na praia e muitas outras coisas.

ATIVIDADES TERCEIRIZADAS:

Como o hotel é pé na areia, a praia conta com um quiosque do hotel (onde você coloca na conta do quarto e paga no check out) e também conta com o quiosque da Baiana, onde são vendidos deliciosos acarajés. Claro que eu não poderia deixar de citar ele: @santeirooli. O San aluga stand up paddle e dá aulas de surf. Como a praia onde o hotel fica tem bastante ondas, apenas o surf é praticado na praia, já o stand up paddle, no rio que fica perto do hotel.

Uma outra coisa muito importante, é que os instrutores estão sempre por perto para te ajudar e ensinar e, também tem o colete salva vidas. Vale muito a pena curtir um surf e o stand up!

O San também faz pinturas em azulejos, lindas para dar de lembrança e para decorar um cantinho da sua casa, deixando mais especial e fazendo lembrar dessa viagem incrível. Aproveito para agradecer o presente que ganhei. Ameii demais!! Uma recordação que me fará lembrar de um momento maravilhoso que tive em Ilhéus (o surf).

O post de hoje fica por aqui e espero que tenham gostado. Semana que vem contarei mais um pouquinho dessa viagem, da trilha que fizemos, ciclo tour e praias que conhecemos. Tenho certeza que irão gostar. Fiquem ligadinhos aqui no blog para não perderem nada.

Beijos com carinho,

resort tororomba, tororomba resort, resort, praia, beach, praias do brasil, praias da bahia

Você também pode se interessar por estes assuntos!

Resort Tororomba – Ilhéus/BA – Brasil

Rio de Janeiro/RJ – Brasil

Maceió/AL – Brasil